Conheça todos os tipos de fluxograma

O fluxograma é ótimo para a compreensão de um determinado processo, o fluxograma é feito através de um esquema de sequência.

Trabalhando no computador

Algumas coisas acabam sendo um pouco mais complicadas de entender, precisando de um pouco mais do que apenas texto para serem compreendidas. Nesses casos, o uso de fluxograma é de grande ajuda para detectar de maneira rápida as atividades de um determinado processo.

O fluxograma serve então, para indicar como é a sequencia de alguns fatores para se chegar ao resultado final. Essa sequencia é também chamada de fluxo.

Existem vários tipos de fluxograma, variando para qual o tipo de atividade e sequência. Além também de depender dos motivos que se leva a criar um fluxograma para compreender determinada sequência. Conheça alguns tipos de fluxograma:

Fluxograma diagrama de blocos

O fluxograma de diagrama de blocos é mais usado para instruções de trabalhos simples ou macro fluxo de processos, sendo mais usada para demonstrar relações contínuas dentro do processo, uma sequência onde não existe envolvimento de decisão.

Este tipo de fluxograma pode ser usado como explicação de um esquema de sequência simples. Pode ser considerado um fluxograma base.

Fluxograma de processo simples

Alguns processos são simples, mas mesmo assim necessitam de um fluxograma onde é apresentada a relação entre suas fases e as necessidades básicas de suas fases de qualquer processo. É um tipo de fluxograma mais utilizado em auditorias internas, onde um processo precisa ser verificado isoladamente.

Assim, esse tipo de fluxograma demonstra o caminho percorrido por um processo no ambiente. Lembra um mapa do tesouro, pois é elaborado sobre uma planta do setor ou de uma fábrica.

Fluxograma ANSI

O fluxograma do tipo ANSI é o mais complexo, porém é o mais completo que existe. Dentro desse fluxo é possível analisar uma relação fiel entre as etapas de processo.

Para dar início a um tipo de fluxograma assim, é necessário ter em mãos um fluxograma de diagrama de blocos, a partir daí é possível incluir e detalhar as alternativas de decisão até que o resultado final mais se aproxime da realidade.

Agora que você já conhece vários exemplos de fluxogramas apresentados acima, agora é hora de fazer uma, assista ao vídeo abaixo com instruções suficientes para você criar um fluxograma de maneira correta.

Publicado por Ananda Morales
Revisado em 16/09/2017

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

Comentar